Buskamos com metáforas da palavra “pedra” pensar o konjunto habitacional pedregulho. Pedra-Sabão foi a primeira referencia em termos eskultórikos… é o material que reveste o Kristo Redentor, que abre os braços pro Rio de Janeiro, e estas pedras foram extraídas das minas gerais, da região Ouro-Pretana… dá korpo aos profetas de Aleijadinho.

Para esta oficina com as krianças priorizamos a segunda palavra que kompõe este binômio – fikamos com o “Sabão”. A primeira palavra a “Pedra” pela sua semi-dureza ficou em segundo plano, mas estava lá, no centro da roda – quando todo o sabão foi usado algumas krianças voltaram se para as pedras-sabão… arranhando com colheres, serrando com fakas de meza, jogando água tentando diluí-las, batendo umas às outras, produzindo som.

Pedra seria um símbolo/material de konstrução – e ao mesmo tempo, paradoxalmente, pensar em sabão é pensar em deskonstrução. Quando lavamos diluímos/desmaterializamos um objekto. (Marconi Marques)

Fotos por Branca Mattos e Kaza Vazia
Anúncios